Pages

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Resenha - O Dia do Curinga de Jostein Gaarder



      Bom dia leitores! Foi difícil escolher um livro para resenhar hoje, pois não quero por enquanto resenhar continuação de alguma série já apresentada aqui. Então depois de pensar um pouco, lembrei de um livro maravilhoso chamado O Dia do Curinga do autor Jostein Gaarder que possui um especial aqui no blog que pode ser acessado por este link.


Características
Nome: O Dia do Curinga
Nome Original: Kabaliizysterie
Autor: Jostein Gaarder
Editora: Cia. das Letras
Páginas: 384
ISBN: 

  • 857164540X

  • Estilo: Fantasia


    Sinopse

           "Você já pensou que num baralho existem muitas cartas de copas e de ouros, outras tantas de espadas e de paus, mas que existe apenas um curinga?", pergunta à sua mãe certa vez a jovem protagonista de O mundo de Sofia.

           Esse é o ponto de partida deste outro livro de Jostein Gaarder, a história de um garoto chamado Hans-Thomas e seu pai, que cruzam a Europa, da Noruega à Grécia, à procura da mulher que os deixou oito anos antes. No meio da viagem, um livro misterioso desencadeia uma narrativa paralela, em que mitos gregos, maldições de família, náufragos e cartas de baralho que ganham vida transformam a viagem de Hans-Thomas numa autêntica iniciação à busca do conhecimento - ou à filosofia.
           O Dia do Curinga é a história de muitas viagens fantásticas que se entrelaçam numa viagem única e ainda mais fantástica - e que só pode ser feita por um grande aventureiro: o leitor.

    Resenha

           Temo não me lembrar muito bem de todo o livro, porém lembro de que fiquei maravilhado. Já disse e enfatizei que admiro e tenho Jostein Gaarder como autor preferido devido à sua criatividade e o modo com que ele nos surpreende, então já era de se esperar que em O Dia do Curinga não seja diferente.
           Alguns podem, como eu, ter uma imagem um pouco infantil deste livro, porém já lhes adianto que isso de maneira alguma me incomodou.
            A história fala de um garoto (cujo nome não me lembro) que vai com o pai atrás de sua mãe, porém (se eu não me engano) ele ganha uma lupa de um anão, e quando eles param em uma cidade seu pai vai para um bar enquanto ele vai para uma padaria, e lá percebe que num aquário falta um pedaço de vidro idêntico ao da lupa, e quando o padeiro a vê, lhe dá pãezinhos, que no momento em que o protagonista os abre ele encontra um livrinho que só é possível ler com a lupa.
            O livrinho conta a história de um marinheiro que naufragou (eu acho) numa ilha onde toda a sociedade estava baseada em cartas de baralho, e foi isso que mais me chamou a atenção, um mundo, uma sociedade feita com base em um baralho! Quatro naipes, quatro estações, e assim vai as associações maravilhosas. Eu gostei mesmo deste livro, pois nele ví uma história que eu JAMAIS poderia criar. Nunca imaginaria algo tão maravilhoso!
             Eu com certeza não pude expressar toda a genialidade desse livro, pois todos os livros do Jostein Gaarder são assim, indiscritíveis, portanto recomendo muito este livro, e por mais que você comece a pensar (no início da leitura) que o livro é infantil (pois a imaginação está presente) em hipótese alguma pare de ler, pois você verá que tudo que acontece é extremamente profundo e filosófico. Genial!




           Pessoas, acho que já deu para notar o quanto eu amo o Jostein Gaarder né! Mas leiam os livros dele, e vocês terão a mesma opinião. Em breve pretendo trazer a resenha do primeiro livro dele O Pássaro Raro, porém focando em um conto apenas.


           Espero que vocês tenham gostado, não se esqueçam de comentar e caso vocês sejam doidos o suficiente e ainda não estejam seguindo o blog: NÃO PERCA TEMPO, siga-o para ficar atualizado e me deixar feliz :)

    3 comentários:

    Lia disse...

    Eu li e resenhei O Dia do Curinga também!!
    Esse livro é maravilhoso! Não acho que ele seja infantil, pois acho que a mensagem por trás dele seja importante para os adultos.
    E concordo com você, essa história é muito critativa! Gostei muito!!

    beijão!

    N. Reek disse...

    Exatamente, eu também não acho que ele seja infantil, mas no primeiro momento pode se ter essa impressão, por se tratar de algo que se passa (de início) na imaginação do personagem do livrinho ; )

    Contando Histórias disse...

    Ahhh *-* já vi esse livro na biblioteca, do ladinho de O Mundo de Sofia. Me deu uma super vontade de ler!
    Isabela

    Postar um comentário

    Deixem um comentário, é super rápido e me deixa muito feliz :)

    E se possuir um blog ou site deixe o link dele que eu dou uma passadinha lá :D